Ir direto para menu de acessibilidade.

Seletor idioma

ptenes

Opções de acessibilidade

Página inicial > Ultimas Notícias > “Quilombo: África no Brasil” é tema de oficina no Instituto de Letras e Comunicação
Início do conteúdo da página

“Quilombo: África no Brasil” é tema de oficina no Instituto de Letras e Comunicação

  • Publicado: Segunda, 10 de Junho de 2019, 18h26

Expressoes UFPA 05 Quilombolas Site ILC

O Instituto de Letras e Comunicação (ILC) realizará, nesta terça-feira, 11, a oficina “Quilombo: África no Brasil, com Vanuza Cardoso e Daniele Bendelac Pinheiro, representantes da Associação dos Discentes Quilombolas (ADQ) da Universidade Federal do Pará (UFPA). O evento será realizado no auditório do novo prédio do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL), a partir das 14h. As inscrições são gratuitas, abertas ao público e podem ser feitas aqui.

“É importante, neste momento, abrir debates sobre os modos como a universidade pode acolher o ‘diferente’, seja qual for a forma como a ‘diferença’ se expressa. O estudante quilombola está sujeito a ser enquadrado no lugar do ‘diferente’ por diversos motivos – pelo pertencimento comunitário, pela cor da pele, pela origem rural, pelo fato de ser beneficiário de ações afirmativas etc.”, explica o professor Thomas Fairchild, diretor-adjunto do ILC e coordenador do ciclo.

Segundo ele, essas diferenças podem, em alguns momentos, se tornar objetos de preconceito, velado ou explícito, de forma que se torna importante conhecer mais sobre a comunidade quilombola - como vivem, pensam e se veem - presente na universidade e fora dela para que os preconceitos possam ser dissipados. 

Além disso, conhecer mais sobre essa diversidade das comunidades quilombolas é um acréscimo também à diversidade linguística e cultural da população universitária. “Do ponto de vista cultural, as comunidades quilombolas, embora muito diferentes entre si, preservam saberes e práticas ligados ao universo rural e às culturas de matriz africana. Essa especificidade está marcada, por sua vez, na língua, que é o português, mas em variedades distintas das que se usam, por exemplo, em Belém”, lembra Thomas Fairchild.

Expressões UFPA – Esta é a penúltima oficina do ciclo, que conta com o apoio da Pró-Reitoria de Relações Internacionais (Prointer). Cada oficina teve um tema relacionado com um aspecto da diversidade linguístico-cultural presente na UFPA. A última oficina será sobre a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Outras oficinas já ministradas trataram das línguas Fongbe, Wai wai, Jamaican Creole e português para estrangeiros.

Foi aprovada, em outubro do ano passado, uma resolução que instituiu uma política linguística na UFPA. Essa política promulga o reconhecimento e a valorização da diversidade linguística do Brasil e da UFPA, a importância da aprendizagem de idiomas estrangeiros no contexto de internacionalização das universidades e a importância da promoção do português como língua internacional de estudo e de ciência. A resolução também enseja que o ILC, como unidade acadêmica que se concentra em línguas e culturas, assuma o protagonismo na criação de ações que implementem essa política.

Serviço:
Oficina “Quilombo: África no Brasil
Local: auditório Ruy Barata (Novo PPGL)
Data: 11 de junho
Hora: às 14h
Os participantes receberão certificado de 4 horas.

Texto: Rafael Miyake – Assessoria de Comunicação da UFPA
Arte: Divulgação

registrado em:
Fim do conteúdo da página