Ir direto para menu de acessibilidade.

Seletor idioma

ptenes

Opções de acessibilidade

Página inicial > Ultimas Notícias > Professor do Campus Cametá tem tese sobre impactos da Usina de Belo Monte premiada em evento nacional de Geografia
Início do conteúdo da página

Professor do Campus Cametá tem tese sobre impactos da Usina de Belo Monte premiada em evento nacional de Geografia

  • Publicado: Terça, 08 de Outubro de 2019, 21h29

Marcel Campus Cametá

O professor Marcel Ribeiro Padinha, do Campus Universitário do Tocantins/Cametá da UFPA, foi vencedor do Prêmio Maurício de Almeida Abreu, com sua tese “Grandes objetos na Amazônia: das velhas lógicas hegemônicas às novas centralidades insurgentes, os impactos da Hidrelétrica de Belo Monte às escalas de vida”. A premiação se deu no XIII Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação em Geografia (ENANPEGE), que ocorreu no mês de setembro, na Universidade de São Paulo (USP).

A tese analisou os impactos socioespaciais às escalas da vida das pessoas atingidas pelo projeto da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, construída no rio Xingu, próximo a Altamira. Foi observado, então, que obras como esta promovem uma espécie de “re(des)estruturação” dos territórios onde são implantadas, causando fortes impactos nas espacialidades existentes, e historicamente constituídas de ribeirinhos, camponeses, indígenas e moradores da periferia da cidade.

A pesquisa buscou explicar a força espoliadora desses grandes empreendimentos sobre as populações mais carentes, fundamentada em uma proposição teórica que considera o espaço como polimorfo. Para ler a tese, acesse aqui.

Marcel Campus Cametá 2Reconhecimento - O docente avalia que a conquista é um grande reconhecimento para a ciência que é feita dentro da universidade. Para ele, isso saúda e reconhece o esforço dos professores e pesquisadores da UFPA, que desenvolvem suas atividades e pesquisas de forma séria e comprometida. Além disso, a premiação dá visibilidade para causas socioambientais da Amazônia, pautas que estão fora do eixo de poder do País.

“Um prêmio como este mostra que a Universidade Federal do Pará é grande em relação ao seu tempo e que entende perfeitamente que a busca por pesquisas e pesquisadores de excelência implica estar aberta ao apoio de pesquisadores e de práticas científicas que sejam importantes ao Brasil e ao mundo”, pontuou. Marcel Padinha teve a orientação do professor Arthur Magon Whitacker, do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista (FCT/UNESP).

Marcel Padinha explica, ainda, que a premiação demonstra que os investimentos científicos não devem ser direcionados apenas para setores específicos dentro da academia, já que as pesquisas em Ciências Humanas também são realizadas em nível de excelência na Amazônia e no país como um todo. “Uma UFPA forte e de excelência se faz com o fortalecimento de pesquisas que tenham um cunho social engajado politicamente, ao mesmo tempo que sejam academicamente sérias e independentes. Isso precisa ficar claro. Essa deve ser nossa bandeira, de todos os professores e pesquisadores desta casa”, conclui Padinha.

O ENANPEGE - O Encontro Nacional da Anpege é realizado bienalmente pela  Associação Nacional de Pós-Graduação em Geografia e, dentro de sua programação, inclui as premiações “Maurício de Almeida Abreu”, na área de Geografia Humana, e “Aziz Nacib Ab’Saber”, na área de Geografia Física, para as melhores teses e dissertações do biênio. A tese do professor Marcel Padinha foi escolhida a melhor na área de Geografia Humana nos anos de 2017 e 2018.

Texto: Adams Mercês - Assessoria de Comunicação da UFPA
Fotos: Arquivo pessoal

registrado em:
Fim do conteúdo da página