Ir direto para menu de acessibilidade.

Seletor idioma

ptenes

Opções de acessibilidade

Página inicial > Ultimas Notícias > Ciclo Expressões promove conversa sobre a cultura Musolonga
Início do conteúdo da página

Ciclo Expressões promove conversa sobre a cultura Musolonga

  • Publicado: Quarta, 06 de Novembro de 2019, 21h36

Site UFPA Musolonga Angola Expressoes UFPA

Estão abertas as inscrições para a próxima oficina do Ciclo Expressões UFPA. Na próxima segunda-feira, dia 11, será realizada a oficina "Cultura Musolonga em Angola: uma introdução", no Auditório Paulo Mendes, no Instituto de Letras e Comunicação (ILC), a partir das 14h. A oficina será ministrada pela professora Eugénia Kossi, da Universidade Jean-Piaget (UniPiaget), de Angola.

Realizado pelo ILC, com apoio da Pró-Reitoria de Relações Internacionais (Prointer), o objetivo central do Projeto Expressões é dar visibilidade à diversidade linguística e cultural da própria comunidade da UFPA e promovê-la, por meio de encontros em que pessoas ligadas à Universidade falem de um tema vinculado à sua identidade.

Segundo a professora Eugénia Kossi, a oficina vai tratar de uma das culturas bakongo, do norte de Angola. “Essas culturas estão concentradas na região que vai de Cabinda e percorre o Zaire e o Uíge. Portanto essas três províncias vão ser compostas por diversas comunidades banto, culturalmente diferenciadas. Elas se diferenciam particularmente na língua. Essas variações são fonéticas, morfológicas e, em certa medida, sintáticas. Importa frisar aqui também diferenças determinantes, que vão desde o ritual do cumprimento, o respeito pelo espaço do outro, o encontro comunitário, a divisão administrativa tradicional e principalmente a divisão do trabalho, que tem características da divisão de funções das culturas banto”

As inscrições para o evento são gratuitas e podem ser feitas aqui. Quem não se inscrever no evento também pode participar da oficina como ouvinte. Será emitido certificado de quatro horas para os participantes.

Expressões UFPA – As oficinas abordam diversos aspectos da diversidade linguístico-cultural da UFPA. Já ocorreram diversas oficinas, que trataram, entre outros, assuntos sobre língua de sinais na literatura linguística, quilombos no Brasil, ensino de português para estrangeiros e as línguas fongbe, wai wai e jamaican creole.

Segundo o professor Thomas Fairchild, coordenador do projeto, é importante promover o reconhecimento local de culturas tradicionais, mas é preciso que estas culturas sejam reconhecidas por pessoas de fora daquele espaço, para que não sejam substituídas pelas culturas hegemônicas de um mundo globalizado.

“Esse reconhecimento a distância é fundamental para que o nativo daquela cultura reconheça seu pertencimento a uma ordem maior, que é a própria condição humana. É importante compreender que nenhuma cultura é, de fato, apenas local, pois nela sempre estão os universais que constituem a própria condição humana”.

Para a professora Eugénia Kossi, a promoção de culturas locais é de extrema importância, uma vez que as culturas nacionais são difundidas de forma generalizada. “Olha-se para as culturas como brasileira e angolana, e não para a diversidade cultural que cada país tem percorrendo as várias comunidades ou localidades que apresentam identidades próprias. Sendo assim, falar da cultura de uma localidade que parece não ter importância de uma forma geral e não recebe esse reconhecimento é um ganho para a expressão de um povoIsso lhe atribui uma voz retirada pela colonização e pela adoção de uma ideologia das hegemonias em que é vista apenas uma cultura, e o resto é tratado como exótico”. 

Pessoas interessadas em fazer oficinas podem se candidatar para apresentação entrando em contato com a diretoria do ILC ou diretamente com o professor Thomas Fairchild pelo e-mail (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.).

Eugénia Kossi – Formada em Letras na Universidade Veiga de Almeida (UVA), no Rio de Janeiro, a professora é especialista em Linguística Aplicada e mestre em Psicopedagogia Clínica. Pesquisa a variação linguística do português em Angola. Atualmente é aluna de pós-graduação na USP e colaboradora do Centro de Língua Portuguesa na UniPiaget, em Luanda, em Angola.

Serviço:

Oficina “Cultura Musolonga em Angola: uma introdução”

Local: Auditório Paulo Mendes (ILC)
Data: 11 de novembro
Hora: às 14h

Texto: Rafael Miyake – Assessoria de Comunicação da UFPA
Arte: Divulgação ILC

registrado em:
Fim do conteúdo da página