Ir direto para menu de acessibilidade.

Seletor idioma

ptenes

Opções de acessibilidade

Página inicial > Ultimas Notícias > Devoção a Nossa Senhora do Tempo em Barcarena é tema de pesquisa do curso de Artes Visuais
Início do conteúdo da página

Devoção a Nossa Senhora do Tempo em Barcarena é tema de pesquisa do curso de Artes Visuais

  • Publicado: Sexta, 08 de Novembro de 2019, 20h53

nossa sra do tempo3 Arquivo

Uma forma de devoção a Maria que só existe no município de Barcarena foi tema de pesquisa para o Trabalho de Conclusão de Curso de Suzilene Costa, aluna do curso de Licenciatura em Artes Visuais, realizado pela Universidade Federal do Pará (UFPA) no município, por meio do Plano Nacional de Formação de Professores (Parfor).

A imagem conhecida como "Nossa Senhora do Tempo" ficava localizada às margens do rio Carnapijó, na comunidade do Cafezal, na zona rural de Barcarena, em um local que fazia parte da rota de diversas embarcações que navegavam pela região das ilhas de Belém e de Barcarena.

Segundo a coordenadora do curso de Artes Visuais no Parfor, professora Ida Hamoy, a iconografia de Nossa Senhora do Tempo foi criada em Barcarena e só existe no município, reforçando a importância de incentivar uma produção acadêmica dos alunos do Parfor que seja voltada para aspectos locais de suas comunidades.

"É a retomada do próprio patrimônio cultural das cidades. Os alunos são instrumentalizados para fazer esse mapeamento, essa documentação, e também para fazer a devolutiva, que é devolver para a comunidade uma resposta de tudo aquilo que a gente recebeu", destaca Ida Hamony.

De acordo com a aluna Suzilene Costa, a ideia de pesquisar a imagem surgiu após a professora Ida Hamoy chamar atenção para o "ineditismo" da devoção a Nossa Senhora do Tempo, quando ministrou aula para a turma de Artes Visuais em Barcarena e abordou o patrimônio do município.

"Quando chegamos na igreja, ela (professora Ida) viu a imagem e falou: 'tu não estás entendendo, essa iconografia não existe. Ela é de vocês'. Como eu sou muito devota de Maria, eu já peguei o tema para mim", relembra Suzilene Costa.

nossa sra do tempo ArquivoHistória - Durante o trabalho, a aluna se deparou com as pesquisas do professor Luiz Antonio Valente Guimarães, registrando que a imagem foi encomendada pelo português Francisco Bernardo da Silva, um dos primeiros proprietários das terras da Fazenda Cafezal, casado com Josefa Joaquina de Souza, herdeira das terras do Carnapijó.

A pesquisadora encontrou documentos distintos apontando para duas datas de instalação da imagem no local: 17 de julho do ano de 1864 e 17 de julho do ano de 1871, porém ambas registram que uma cerimônia religiosa em homenagem a Nossa Senhora foi celebrada no local durante a inauguração.

No entanto Francisco da Silva teria encomendado, segundo os registros, uma imagem de Nossa Senhora do Livramento. "Como ela se tornou Nossa Senhora do Tempo? Porque, até então, ela foi colocada lá como Nossa Senhora do Livramento, mas a iconografia dela é totalmente diferente", questiona Suzilene Costa.

De acordo com a pesquisa da aluna, a iconografia se modificou com o passar do tempo em virtude da própria devoção dos viajantes, que passavam pelo local e pediam a bênção para a imagem, que passou a ser conhecida popularmente como Nossa Senhora do Tempo.

"Ela é conhecida como uma iconografia Mariana, mas também é das embarcações, dos viajantes, de todos os que passavam pelo local e pediam a proteção dela, pediam que ela lhes desse um bom tempo e que ela acompanhasse nas viagens", explica.

Formatura Suzy Costa Alexandre YuriDevoção - De acordo com a pesquisadora, a imagem sofreu uma tentativa de vandalismo há cerca de oito anos e foi retirada do local de origem, mas sua pesquisa trouxe à comunidade da igreja a expectativa de que ela seja recuperada.

"Depois da apresentação do trabalho, conversando com alguns membros da igreja, surgiu a possibilidade de voltar para o local. Não com a imagem original, já que ela tem um grande valor. Que se faça uma réplica, mas que ela volte para lá", planeja Suzilene Costa.

Hoje a imagem se encontra na sede da Paróquia de São Francisco Xavier, em Barcarena, mas, para a pesquisadora, o retorno da imagem ao local é fundamental para que se mantenha viva essa forma de devoção, exclusiva do município.

"Infelizmente ela continua guardada na sacristia, escondida dos olhares, e isso é lamentável, porque essa história, essa devoção vão ficando esquecidas. Ela está na igreja, mas, mesmo assim, as embarcações passam, buzinam, pedem proteção no local", conta a pesquisadora.

Texto: Alexandre Yuri Nascimento / Ascom Parfor
Fotos: Divulgação

registrado em:
Fim do conteúdo da página