Ir direto para menu de acessibilidade.

Seletor idioma

ptenes

Opções de acessibilidade

Página inicial > Ultimas Notícias > Consepe mantém suspensão das atividades presenciais na UFPA
Início do conteúdo da página

Consepe mantém suspensão das atividades presenciais na UFPA

  • Publicado: Segunda, 25 de Maio de 2020, 17h54

Foto Reitoria Thiago Pelaes drone

O Conselho Universitário de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da Universidade Federal do Pará (UFPA) aprovou, na última sexta-feira, 22 de maio, a suspensão do calendário acadêmico 2020 por tempo indeterminado diante do cenário de pandemia mundial causada pelo novo coronavírus. O Conselho referendou, por unanimidade, a decisão tomada pela Administração Superior da UFPA em 19 de março de 2020. A reunião ocorreu de maneira on-line e contou com a participação de 47 conselheiros.

Histórico - No parecer, o relator Edmar Costa, pró-reitor de Ensino de Graduação (Proeg), relembrou que, em sintonia com a crescente preocupação em torno da pandemia, a UFPA instalou um Grupo de Trabalho (GT) sobre o novo coronavírus, formado por pesquisadores da área de saúde, administração, comunicação, gestores de ensino, pesquisa e extensão, representantes de dirigentes de unidades e campi, além de representação estudantil, com atuação e avaliação permanente do andamento do cenário da epidemia no país, a fim de divulgar recomendações e medidas preventivas à comunidade acadêmica.

A partir de recomendações deste GT, a Reitoria, por meio de comunicado público, informou a suspensão, no período de 19 de março a 12 de abril, em todos os campi, das atividades acadêmicas e administrativas presenciais. Em 6 de abril de 2020, a Universidade decidiu pela manutenção da suspensão de atividades acadêmicas e administrativas, desta vez, por tempo indeterminado, levadas em consideração as orientações das autoridades sanitárias diante do agravamento do cenário epidemiológico da COVID-19 no país e no estado do Pará.

Sem exclusões - Quando desta decisão, a UFPA optou por não substituir o ensino presencial pela modalidade de Educação a Distância (EaD), principalmente por não ter havido planejamento prévio para amplo domínio da metodologia EaD por docentes e discentes e, especialmente, por conta de impossibilidade de acesso de grande parte dos discentes aos equipamentos necessários, além de fatores técnicos relacionados à qualidade do acesso à internet, para seguir com o trabalho em ambiente virtual.

No entanto o pró-reitor declarou que essa suspensão não inclui os alunos que estão apenas em fase de conclusão de curso ou de defesas de mestrado e doutorado que já haviam sido marcadas antes do dia 19 de março, de modo que casos específicos serão avaliados. Assim, após avaliação dos conselheiros, 44 votos favoráveis aprovaram o parecer, incluindo o voto do relator. No momento da votação, 44 conselheiros estavam on-line.

O reitor, Emmanuel Tourinho, afirmou que as decisões sobre calendário e sobre atividades de ensino devem levar em conta duas referências: a garantia da qualidade das atividades e a garantia de que nenhum discente seja prejudicado. Para além disso, deve prevalecer o bom senso. “A UFPA não retomará atividades como antes enquanto não for seguro para todos. Nossa preocupação primeira é de que as pessoas estejam protegidas no que tange à contaminação pelo vírus”, completou.

Planejamento - Porém ressaltou-se a importância de se ter um plano e, desde já, pensar em como será a retomada das atividades, visto que o cenário de mudanças ainda não é nada promissor. “É pouco provável que, nos próximos meses, possamos reunir 50 alunos em sala de aula. Então, diante desse contexto, vamos discutir se poderemos retomar atividades de modo gradual, com estratégias diversas, mas tomando cuidado para que não haja exclusões. A adoção de algumas atividades em sistema remoto precisa ser estudada com cuidado, uma vez que temos uma imensa maioria de discentes em situação de vulnerabilidade econômica que não tem equipamento, plataformas ou acesso à internet”, disse Tourinho.

As condições para a realização de atividades remotas ofertadas nesta conjuntura na UFPA vêm sendo avaliadas para responder a um levantamento solicitado pelo MEC. “Além da necessidade de um amplo programa de inclusão digital para discentes em vulnerabilidade socioeconômica, deve-se considerar a realidade peculiar da Amazônia, onde existem grandes vazios de internet e dificuldades de deslocamento por parte de alunos que residem em localidades mais remotas. Mesmo entre os alunos de cursos da UFPA já ofertados a distância, pelo menos 25% dependem do polo físico da UFPA nos diversos municípios para ter acesso às plataformas virtuais”, afirmou o reitor.

Comissão - O Consepe também deliberou sobre a constituição de uma comissão de conselheiros para acompanhamento e proposição de ações com relação ao calendário acadêmico diante da pandemia da COVID-19.  A ideia é formar um grupo de trabalho para estudar e apropriar-se das experiências e dos debates que têm sido realizados por outras instituições para propor medidas a serem examinadas pelo Consepe sobre o futuro retorno das atividades acadêmicas, tão logo seja seguro para todos.

“A constituição desse grupo acompanha o ineditismo dessa situação”, disse o pró-reitor Edmar Costa, que coordenará os trabalhos. “Muitos acreditavam que a suspensão seria breve, mas não foi. Como não existe previsão de que a pandemia acabe em dois ou três meses, não se pode falar em pós-pandemia. Podemos, sim, cogitar o retorno a um ‘novo normal’, em que nada será como antes. Então, com muita humildade, estamos fazendo esse estudo de avaliar como, futuramente, poderemos retomar o calendário acadêmico”, detalhou.

Foram, portanto, sugeridos nomes de conselheiros para a composição da comissão que vai pensar em conjunto nessas estratégias e discutir sistemas que se adequem às mais diversas realidades da Amazônia. Um total de 27 nomes foi sugeridos, entre docentes, técnicos e representantes discentes. Os estudos e sugestões elaborados por esta comissão serão encaminhados para serem apreciados posteriormente em novas reuniões do Consepe.

Enem 2020 – Diante do referido contexto, muitos conselheiros manifestaram preocupação com relação ao ingresso de novos alunos em 2021,  e qualquer deliberação sobre o assunto acontecerá apenas no segundo semestre deste ano. A Instituição reitera que é favorável ao adiamento do ENEM, a fim de garantir que todos os candidatos tenham completado o ensino médio, que garante condições mínimas de isonomia. A Instituição estará atenta para esses novos prazos, que estarão contemplados em uma futura proposta para a recomposição do calendário acadêmico. Em todo caso, o reitor reiterou que os candidatos a uma vaga na UFPA devem inscrever-se no Enem.

Texto: Jéssica Souza – Assessoria de Comunicação da UFPA
Foto: Thiago Pelaes

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página