Ir direto para menu de acessibilidade.

Seletor idioma

ptenes

Opções de acessibilidade

Página inicial > Ultimas Notícias > Gepem coloca em debate questões que afetam a comunidade LGBTQIA+ cotidianamente
Início do conteúdo da página

Gepem coloca em debate questões que afetam a comunidade LGBTQIA+ cotidianamente

  • Publicado: Sexta, 26 de Junho de 2020, 19h22

Lives LGBTQI Gepem

Em referência ao dia 28 de junho, em que se comemora o Dia Internacional da Visibilidade LGBTI+, o Grupo de Estudos e Pesquisas Eneida de Moraes sobre mulheres e relações de gênero (GEPEM/UFPA), por meio de sua linha de pesquisa “Gêneros, corpos e sexualidades”, irá promover o evento “Quarentena  LGBTQIA+: vamos falar sobre isso?”. O evento ocorrerá na próxima segunda-feira (29), às 19h, no canal do GEPEM, no YouTube.

O objetivo do evento é pautar a temática LGBTQIA+, dando visibilidade à causa para fomentar o debate em torno das inúmeras questões que afetam cotidianamente quem vive a experiência em um dos campos que a sigla abarca, em especial, durante a pandemia da Covid-19 e o regime de quarentena.

“A proposta é ocuparmos as segundas feiras, às 19h, dialogando com duas pessoas, uma cis e uma trans, que vão refletir fundamentadas em suas vivências sobre o cenário atual da pandemia e em todos os impactos que ela  tem produzido  sobre as suas vidas. O isolamento físico a que estamos submetidos é uma pequena amostra do isolamento que a sociedade impõe àqueles que não se enquadram nos padrões estabelecidos por ela”, afirma a coordenadora do GEPEM, professora Telma Amaral.

Esta será a primeira live, de uma série de encontros semanais, sempre às segundas-feiras, às 19h, contando com a presença de pessoas representativas do espaço acadêmico e social, em âmbito nacional e no contexto norte amazônico, que ofereçam um olhar de dentro da causa LGBTQIA+, para que, assim, seja possível a provocação de inquietações, questionamentos e possibilite múltiplas reflexões e ações.

“Este debate é importante para dar visibilidade e materializar a pauta, porque é falando sobre que a gente tem a possibilidade de entender, de estabelecer empatia, de conhecer, de avaliar, de se posicionar. Existe uma visão muito negativa sobre a comunidade, então trazer as pessoas para esse contexto é fundamental, pois é garantindo a visibilidade que temos a possibilidade de promover mudanças”, conclui a professora Telma Amaral.

Convidados - A primeira live, no dia 29 de junho, contará com a participação de Xan Marçall, que é membro fundadora do Coletivo das Liliths-BA, agrupamento artístico de Salvador, de mulheres e LGBTQIA+, que vem investigando as narrativas ancestrais Lgbtqia+ do Brasil na formação da identidade nacional.

Outro convidado será José Sena, educador amazônida, ativista pela causa LGBTQIA+ , doutor em Linguística Aplicada pela UFRJ, pesquisador do Nudes/UFRJ e membro fundador do coletivo Caboka.

GEPEM - Criado em 1994, o Grupo de Estudos e Pesquisas “Eneida de Moraes” funciona em torno das teorias de gênero, e as associadas têm procurado refletir sobre os temas que sinalizam para a valorização dos Direitos Humanos. O GEPEM é constituído por docentes, discentes, técnicos-administrativos, pesquisadores e profissionais da UFPA e de outras instituições públicas e privadas, e dos movimentos de mulheres interessados na temática mulher e gênero.

Texto: Nayana Batista – Assessoria de Comunicação da UFPA
Arte: Divulgação

registrado em:
Fim do conteúdo da página