Ir direto para menu de acessibilidade.

Seletor idioma

PT EN ES

Opções de acessibilidade

Página inicial > Ultimas Notícias > Professor da Universidade de Cabo Verde participa de eventos na UFPA
Início do conteúdo da página

Professor da Universidade de Cabo Verde participa de eventos na UFPA

  • Publicado: Quinta, 06 de Dezembro de 2018, 18h09

2018 11 30 at 21.08.08

Na última semana, a Universidade Federal do Pará (UFPA) recebeu a visita ilustre do professor Odair Barros Varela, da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), na África. Por meio do Programa de Apoio à Cooperação Interinstitucional (PACI/UFPA), o professor participou de eventos nos Campi de Abaetetuba e Castanhal, e no Polo de São Caetano de Odivelas, além de ter realizado visitas às comunidades quilombolas, a fim de estudar e discutir as semelhanças e as diferenças históricas entre o Pará e o seu país de origem.

Professor Cabo Verde 4Em sua segunda visita ao Estado, Odair Varela, que atua no campo de estudos pós-coloniais, apresentou aos estudantes paraenses obras de autores africanos que abordam a temática. A visita do professor foi organizada pelos professores José Guilherme Fernandes, do Campus Castanhal, e de Jacqueline Freire, do Campus Abaetetuba e teve como finalidade, ainda, possibilitar uma articulação da construção do projeto intitulado “Indicadores de Antropização e Governança Local em Cabo Verde e Amazônia”, que será realizado em parceria com a UFPA.

Influência portuguesa e africana – Durante a visita às comunidades quilombolas de Castanhal e Abaetetuba, Varela observou semelhanças entre os processos coloniais do Brasil e de Cabo Verde, país africano que também foi colonizado por portugueses. “Uma das curiosidades que eu tinha era verificar a presença de comunidades afro no Estado, costuma-se dizer que essa presença é maior no Rio de Janeiro e na Bahia, mas pude constatar que, no Pará, há uma presença significativa da herança dos antigos africanos que vieram para o Brasil, escravizados”, explica.

Professor Cabo Verde 3As heranças culturais apresentadas pelas comunidades paraenses se assemelham àquelas presentes nas comunidades cabo-verdianas, bem como as características portuguesas descartadas por esses indivíduos no período pós-colonial. O que mais chamou atenção do professor foi a diversidade de ambientação desses povos. Além de estarem localizadas em zonas montanhosas e de difícil acesso, como usualmente são representadas, as comunidades quilombolas são encontradas em áreas ribeirinhas, em comunhão com comunidades campesinas e/ou indígenas.

Professor Cabr Verde 5“Isso mostra a necessidade de haver estudos comparativos dessas realidades, por traz das diferenças que podemos encontrar existem também poderosas semelhanças. Isso é o que se pretende com programas como o PACI, que possibilita o estudo, numa visão interdisciplinar, da interferência humana na natureza e vice-versa”, completa o Odair Varela.

Professor premiado - Em 2013, Odair Barros Varela recebeu o Prémio Fernão Mendes Pinto, organizado pela Associação de Universidade de Língua Portuguesa (AULP), e Menção Honrosa do júri do Prémio CES para Jovens Cientistas Sociais de Língua Portuguesa, com a tese Mestiçagem Jurídica? O Estado e a Participação Local na Justiça em Cabo Verde: uma análise pós-colonial. A tese premiada faz uma análise pós-colonial do papel do Estado cabo-verdiano no que se refere à participação na justiça local e foi realizada utilizando-se de ferramentas epistemológicas conferidas pelos estudos pós-coloniais.

Professor Cabo Verde 2Sobre o PACI - O programa objetiva incentivar o aproveitamento de oportunidades de cooperação entre pesquisadores e grupos de pesquisa vinculados aos Programas de Pós-Graduação da Universidade Federal do Pará e de outras instituições do País e do exterior.

O PACI oferece recursos para a realização de reuniões com grupos de pesquisa externos, que visem à elaboração de propostas a serem submetidas a agências de fomento que estejam disponibilizando financiamento para a pesquisa, especialmente no âmbito da cooperação interinstitucional na pós-graduação.

Texto: Elizandra Ferreira – Assessoria de Comunicação da UFPA
Fotos: Divulgação

registrado em:
Fim do conteúdo da página