Ir direto para menu de acessibilidade.

Seletor idioma

ptenes

Opções de acessibilidade

Página inicial > Ultimas Notícias > Evento debate racismo epistêmico e universidade nesta sexta-feira, 29
Início do conteúdo da página

Evento debate racismo epistêmico e universidade nesta sexta-feira, 29

  • Publicado: Quinta, 28 de Março de 2019, 18h15

Workshop Racismo

Nesta sexta feira, 29 de março, o Grupo de estudos "NOSMULHERES pela Equidade de Gênero Etnicorracial" vai realizar, no auditório do Instituto de Ciências Jurídicas (ICJ) da UFPA, o I Workshop sobre Racismo Epistêmico e Universidade. Com o objetivo de construir diálogos plurais e pensar nas diferentes formas da construção do conhecimento, o evento reúne mulheres negras, brancas, quilombolas, indígenas, ciganas, e de matriz-africana que “vivenciam” a Universidade de diferentes perspectivas. Aberto a todos os públicos, a programação é gratuita e inicia-se às 14h.

Coordenado pela professora Mônica Prates Conrado, da Faculdade de Ciências Sociais (IFCH) da UFPA, a programação do evento conta com diferentes vozes que ecoaram para falar sobre suas realidades e pesquisas, contando outras histórias e apontando caminhos que se tornam cada dia mais urgentes de serem trilhados na produção de conhecimento da universidade.

De acordo com Flávia Câmara, doutora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFPA, o racismo epistêmicoé o debate sobre como, historicamente, na prática universitária, apenas alguns grupos hegemônicos (de base masculina, branca, euro-estadunidense, cisgênero, heterossexual, sem deficiências, classe alta e regulados por uma moral cristã) tiveram as suas histórias e conhecimentos valorizados e considerados científicos, inclusive com a legitimidade para dizer o que é ou não ciência, quais produções de conhecimentos são válidas e, por consequência concreta, quais vidas podem ou não existir”, afirma.

“Falar de racismo epistêmico é entender que a própria noção de universidade não pode mais ser de apagamento e negações de histórias, memórias e existências diversas, mas sim que esse espaço deve possibilitar a convivência da multiculturalidade e pluralidades de cosmogonias e sociabilidades. Nesse sentido, o Grupo NOSMULHERES é de suma importância para a comunidade acadêmica da UFPA, para a sociedade de Belém e da Região Norte de uma maneira geral”, afirma Flávia.

NOSMULHERES – Vinculado à Faculdade de Ciências Sociais (IFCH) da UFPA, o grupo, coordenado pela professora Mônica Prates Conrado, nasceu em 2008, do Observatório da Lei Maria da Penha. Com o objetivo de discutir questões que se tencionam em torno da temática das relações de gênero e raça, o grupo agrega pesquisadores de diversas áreas, como o Direito, a Psicologia e as Ciências Sociais, que desenvolvem seus trabalhos baseados nessa perspectiva.

“O objetivo geral do grupo é produzir projetos acadêmicos articulados à realidade do Norte do País sob a ótica de gênero, sexualidade, raça e/ou etnia e de classe, elaborados pelos/as pesquisadores/as associados/as. Também tem como objetivo o combate às desigualdades que interligam gênero, classe e raça conectadas às dinâmicas históricas, sociais e políticas da Amazônia”, expõe Evillys Figueiredo, mestranda o Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA) da UFPA.

Aos participantes, está sendo solicitada a colaboração voluntária de um 1 item de higiene pessoal a ser arrecadado no dia do evento, que será distribuído para mulheres em situação de rua.

Serviços:
Convite para participar do primeiro "I Workshop sobre Racismo Epistêmico e Universidade".
Data e Hora: 29 de março, às 14h.
Local: Auditório do Instituto de Ciências Jurídicas (ICJ) da UFPA.
Inscrições: As inscrições são gratuitas e devem ser feitas no dia do evento.
Informativo: 1 item de higiene pessoal a ser arrecadado no dia do evento que será distribuído para mulheres em situação de rua.
Para mais informações acesse a página do facebook.

Texto: Gilberto Moura – Ascom UFPA com informações da Ascom IFCH
Arte: Divulgação

registrado em:
Fim do conteúdo da página